Cruzamentos

quarta-feira, maio 10, 2006

"Abstracção" e atonalidade: os conceitos

1. CONCEITOS MUSICAIS
1.1. TEMPERAMENTO: "arredondamento" de sustenidos e bemóis - uma oitava fica dividida em 12 notas separadas por intervalos absolutamente iguais (de meio tom).


Escala maior segundo várias "afinações": pitagórica (Idade Média), ptolomaica (séc. XV), temperamento mesotónico (séc. XVI), bom temperamento (séc. XVIII) e temperamento igual (em http://to-campos.planetaclix.pt/harmon/escalas.mid)

1.2. MODOS MAIORES (ex.: escala de Dó a dó) e MENORES (ex.: escala de Lá a lá): distingue-os a posição das notas separadas por apenas meio tom.

A verde o modelo dos modos maiores e a vermelho o modelo dos modos menores: os três pontos marcam a localização dos meios tons (a verde para o modo maior, a vermelho para o menor)

1.3. TONALIDADE
1.3.1. Dó Maior: só se utilizam as "teclas brancas" do piano. MAS: igual a Lá menor?
1.3.2. Diferem na HIERARQUIZAÇÃO das notas:
Dó Maior dá maior importância ao Sol e ao Dó.
Lá Menor dá maior importância ao Mi e ao Lá.
São a DOMINANTE (5º grau da escala) e a TÓNICA (1º grau).


As escalas de Dó Maior, Lá menor e Lá Maior, seguidas da melodia da canção de Natal Stille Nacht de Franz Gruber.

Servem os exemplos para: distinguir o carácter sonoro próprio dos modos maiores / menores; ouvir a "adaptação" da escala de Lá ("naturalmente" menor) ao modo maior (pela subida de meio tom de todos os Fá, Dó e Sol, que se tornam, portanto, sustenidos); aplicar os conceitos de hierararquia, seguindo a dominante e a tónica, numa melodia em Dó Maior. Tónica (a verde) e dominante (a vermelho) estão marcadas na partitura seguinte (Stille Nacht / Noite Feliz).


Pauta e interpretação sonora das escalas e da canção utilizam o programa gratuito NotePad, da Finale, que permite escrever música, imprimi-la e ouvi-la: o Projecto Gutenberg possui partituras que é possível importar e, depois, ouvir com o NotePad, enquanto se segue a escrita musical.

1.4. CONSONÂNCIA (que soa "agradável") e DISSONÂNCIA (que soa "mal").

1.5. MELODIA (progressão DIACRÓNICA) e HARMONIA (apresentação SINCRÓNICA dos sons): HORIZONTAL (melodia) e VERTICAL (harmonia).

B. Deyries, D. Lemery, M. Sadler, História da Música em Banda Desenhada, Mem Martins, Terramar, s.d. (clicar na imagem aumenta-lhe as dimensões)

2. DODECAFONISMO (ou SERIALISMO)
2.1. ATONALIDADE: abandono dos sistemas tonais - é difícil, ou impossível, dizer em que tonalidade (Dó Maior, por exemplo) está uma composição musical, ou uma passagem dessa composição.
2.1.2. Pode atingir-se a atonalidade através da utilização do CROMATISMO, da POLITONALIDADE, dos MODOS ARCAICOS, etc.

2.2. DODECAFONISMO: a NÃO REPETIÇÃO de nenhuma nota, antes da apresentação de todas as diferentes DOZE NOTAS admitidas (herdadas das escalas temperadas).
2.2.1. Resulta na TOTAL IGUALDADE dos doze tons: abandono da hierarquização.

2.3. "ABSTRACÇÃO" E DODECAFONISMO
2.3.1. CORTE COM O PASSADO.
2.3.2. REORGANIZAÇÃO DO MATERIAL sonoro, segundo nova categorização.
2.3.3. Dificuldade em RECONHECER.
2.3.4. Tendência para a DESCONTINUIDADE (dificuldade do auditor em antecipar, perda do centro tonal, etc. - por exemplo, a utilização da klangfarbenmelodie).
2.3.5. DESIERARQUIZAÇÃO.

Etiquetas: , , , , , ,

2 Comments:

  • Escrevi meu mestrado sobre isso, está on-line
    http://www.geocities.com/itavidal/

    By Blogger ita, at 17/6/06 07:44  

  • Obrigado pela informação. Logo que possa, irei espreitar a morada do Geocities. Continue a partilhar connosco a sua informação e comentários.

    Até breve.

    By Blogger O Tipo das Histórias, at 19/6/06 11:59  

Enviar um comentário

<< Home


Powered by Blogger